Links Úteis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Internacional

Nova composição da estrutura da FLEC na Europa

Cabinda: Nzita Tiago «renova» o seu staff

Paris – A direcção política da Frente de Libertação do Estado de Cabinda (FLEC) reuniu a 15 e 16 de Fevereiro, nos arredores de Paris, com o objectivo de avaliar «a repetição das múltiplas crises» no interior do movimento e formular uma «restruturação» do movimento.

Segundo o comunicado final, a direcção política da FLEC afirma que para «pôr fim a tudo e qualquer tipo de anarquia e oportunismo dentro do movimento de libertação, e promover o processo de reunificação e estruturação em curso, engajado desde a última reunião a 3 de Agosto de 2010 em Paris» e permanecendo «aberto a todos os quadros e intelectuais de Cabinda», a FLEC, com a presidência de Nzita Tiago, decidiu efectuar uma «restruturação» interna.

Assim, António da Silva Anny Kitembo assumiu a vice-presidência acumulando funções como representante da FLEC na Bélgica.

Ficou estabelecido também que Emmanuel Nzita assume as funções de Conselheiro Especial do presidente e encarregado de missões do movimento; Osvaldo Franque Buela, Secretário para Informação e Comunicação; Arsienne Bivouma, Secretário para a Juventude; Jean Claude Nzita, conselheiro de Comunicação da presidência; Fernando Natalício Chincocolo representante na Suécia; José Ndele Ngoma na Suíça; Nkusu Tiaba e Nany Kitembo representantes do movimento em França e Carlos Reis em Portugal, informa o comunicado da FLEC.

Ficaram por designar, «por razões estratégicas e de segurança», os cargos de secretário para a Defesa, Interior e Segurança, Economia e Finanças, Negócios Estrangeiros e para as mulheres de Cabinda.

«A direcção política do FLEC-FAC, tendo em conta as dificuldades práticas de realizar a conferência inter-Cabindesa a fim de criar um consenso entre as diferentes forças políticas e associativas de Cabinda, recebeu da comissão ad hoc para a busca de uma solução pacífica de paz para Cabinda» uma anteproposta, avança o mesmo comunicado, precisando que a mesma deverá ser analisada e submetida a uma «plataforma consensual das forças políticas de Cabinda, a fim de se pronunciar sobre as estratégias para a defesa das aspirações do povo de Cabinda.»

A FLEC reiterou também a vontade de uma «solução negociada» para o conflito em Cabinda, já solicitada por Nzita Tiago ao Chefe de Estado angolano, José Eduardo do Santos.

Em alusão às recentes dissidências no movimento a «direcção política da FLEC e seu presidente» alertam os cabindas para «não cederem às mentiras e armadilhas de alguns agitadores que não tomam em conta a gravidade do momento», através do mesmo documento a FLEC denunciou as iniciativas que visam «sujar e denegrir a imagem e credibilidade do movimento, impedir e sabotar a união tão desejada».

(c) PNN Portuguese News Network

2012-02-18 15:28:24

MAIS ARTIGOS...
  Responsáveis antiterroristas marroquinos condecorados em Espanha
  França alarga medidas de prevenção do ébola nos transportes
  Moçambique: Contagem geral dos votos dá vitória à Frelimo
  Moscovo vai reconhecer resultado das eleições na Ucrânia
  Primeiro caso confirmado de ébola em Nova Iorque
  Guiné-Bissau: Responsáveis pelo Ensino Superior particular acusados de «mercantilismo»
  Israel promete tolerância zero depois da morte de bebé
  Guiné-Bissau: LGDH acusa polícia de crimes nas aldeias
  Ataques da coligação já fizeram 553 mortos na Síria
  Guiné-Bissau: PM adverte governadores regionais sobre responsabilidade do serviço público
  Moçambique: Renamo venceu Presidenciais em Tete
  Cabo Verde implementa Fundo de Acesso Social

Comentários

Nome:

E-mail:

Comentário:



Hospedagem de Sites Low CostJornal Digital Cabinda Digital Timor Digital Bissau Digital Jornal de São Tomé Cabo Verde Maputo Digital
Notícias no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais